Artigos

USDA reduz produção de soja e milho da Argentina e aumenta soja do Brasil

09 DE Fevereiro de 2018

USDA reduz safra de soja da Argentina para 54 mi de toneladas

O relatório mensal de oferta e demanda divulgado há pouco pelo USDA reduziu a estimativa de produção de soja da Argentina na safra 2017/18. Projetada em 56 milhões de toneladas em janeiro, a produção argentina é calculada agora em 54 milhões de toneladas – ainda acima de estimativas locais como a da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, que fala em 51 milhões de toneladas. O corte deve-se à falta de umidade registrada desde janeiro em áreas importantes do cinturão produtor argentino.

O órgão americano também fez um leve ajuste para baixo na produção 2017/18 do Paraguai, que passou dos 9,4 milhões de toneladas de janeiro para 9,2 milhões – significativamente abaixo dos 10,7 milhões de toneladas da safra 2016/17.

Brasil em 112 milhões de toneladas

Para o Brasil, em contrapartida, o USDA elevou a estimativa de produção em 2 milhões de toneladas, para 112 milhões. Pela manhã, a Conab também aumentou a projeção, que passou de 110,4 milhões para 111,6 milhões de toneladas. Na semana passada, a AgRural já havia elevado sua estimativa, que passou de 114 milhões para 116,2 milhões de toneladas.

MUNDO  Oferta e Demanda de Soja

USDA/AGRURAL  Em milhões de toneladas, exceto % e dias.

Brasil segue pressionando exportações dos EUA

No quadro de soja dos EUA, o USDA fez mais um corte – o terceiro consecutivo – na expectativa de exportação da temporada 2017/18, que agora é de 57,2 milhões de toneladas. A redução de 1,6 milhões de toneladas, segundo o órgão, deve ser coberta pelo Brasil, cuja estimativa de exportação em 2017/18 subiu de 67 milhões para 69 milhões de toneladas.

Com um corte tão grande nas exportações, a projeção de estoques finais dos EUA subiu dos 12,8 milhões de toneladas de janeiro para 14,4 milhões – 1 milhão de toneladas acima da expectativa média do mercado.

EUA  Oferta e Demanda de Soja

USDA/AGRURAL  Área em milhões de hectares, produtividade em sacas de 60 kg por hectare e demais itens em milhões de toneladas, exceto % e dias.

USDA corta produção de milho da Argentina em 7%

No milho, o USDA fez um corte de 7% na estimativa de produção 2017/18 da Argentina, que passou dos 42 milhões de toneladas de janeiro para 39 milhões. Também houve um ajuste para baixo na produção da Ucrânia, estimada agora em 24,1 milhões de toneladas. Para o Brasil, o órgão manteve a produção 2017/18 nos mesmos 95 milhões de toneladas de janeiro. O número é bem superior aos 88 milhões de toneladas estimados pela Conab e aos 89 milhões de toneladas da AgRural.

MUNDO  Oferta e Demanda de Milho

USDA/AGRURAL  Em milhões de toneladas, exceto % e dias.

Exportação de milho dos EUA ganha fôlego

No quadro de milho dos EUA, o USDA surpreendeu ao fazer um incremento de 3,2 milhões de toneladas na expectativa de exportação, que agora é de 52,1 milhões de toneladas. Isso reduziu a projeção de estoques finais da temporada 2017/18 dos 62,9 milhões de toneladas de janeiro para 59,7 milhões. A expectativa média do mercado era de 62,7 milhões de toneladas.

Embora continuem mais baixas que as do ciclo passado, as exportações dos EUA vêm ganhando fôlego nas últimas semanas, impulsionadas pelo dólar mais fraco diante das principais moedas do mundo e pela redução das vendas do Brasil, que tradicionalmente perdem fôlego no início do ano.

EUA  Oferta e Demanda de Milho

USDA/AGRURAL  Área em milhões de hectares, produtividade em sacas de 60 kg por hectare e demais itens em milhões de toneladas, exceto % e dias.

Veja Também