Artigos

Flash USDA Oferta e Demanda

08 DE Dezembro de 2020

A transformação digital mudou – e ainda está mudando – todas as esferas econômicas e sociais. No setor do agronegócio, a tecnologia no campo está possibilitando um salto produtivo significante e cada vez mais rápido.

Nesse campo, é possível afirmar que a tecnologia no agronegócio, que antes ficava restrita a maquinários e insumos modernos, agora evolui e criou um momento disruptivo no setor. Por isso, este momento é chamado de Agricultura 4.0.

Com safra menor, estoques de soja dos EUA caem para nível dramático

O relatório mensal de oferta e demanda divulgado nesta terça-feira (10) pelo USDA fez um corte acima do esperado na produção de soja da safra 2020/21 dos EUA, que estava 92% colhida até domingo (08). Com produtividade mais baixa, a produção caiu dos 116,2 milhões de toneladas estimados em outubro para 113,5 milhões de toneladas.

Com isso, o USDA nem teve espaço para mexer nas estimativas de consumo – havia expectativa de aumento das exportações –, pois a projeção de estoques finais automaticamente caiu para 5,2 milhões de toneladas, um dos níveis mais baixos da história.

Sem espaço para quebra na América do Sul

Isso significa que qualquer perda de produtividade na safra 2020/21 de soja da América do Sul deve resultar em cotações mais firmes na Bolsa de Chicago ao longo dos próximos meses. É interessante observar, também, que 48,5 milhões de toneladas de soja, de um total estimado de 59,3 milhões para as exportações da temporada 2020/21, que termina em agosto de 2021, já estão vendidos.

Ajuste para baixo na Argentina

No quadro mundial, o USDA fez um pequeno ajuste para cima na importação chinesa do ciclo 2019/20, que terminou em 30/set. Para 2020/21, o USDA manteve a produção do Brasil inalterada, em 133 milhões de toneladas (ainda é cedo mesmo para mexer na produtividade da soja), mas cortou a expectativa de produção da Argentina via ajuste na área plantada, que estava absolutamente superestimada pelo órgão americano até outubro.

A importação 2020/21 da China, por sua vez, foi mantida em 100 milhões de toneladas, enquanto os estoques finais mundiais (base 30/set/21) tiveram leve queda, para 86,5 milhões de toneladas.

EUA Oferta e Demanda de Soja

USDA/AGRURAL Área em milhões de hectares, produtividade em sacas de 60 kg por hectare e demais itens em milhões de toneladas, exceto % e

EUA Estoques Finais de Soja

USDA/AGRURAL Em milhões de toneladas. *USDA nov/20.

EUA Relação Estoque/Consumo de Soja

USDA/AGRURAL Estoques finais/consumo total= %. *USDA nov/20.

MUNDO Oferta e Demanda de Soja

USDA/AGRURAL E milhões de toneladas, exceto % e dias.

Exportação de milho dos EUA sobe para recorde com quebra na Ucrânia

No milho, o relatório mensal de oferta e demanda do USDA também fez um corte maior do que o esperado na produtividade da safra 2020/21 dos EUA, que estava 91% colhida até domingo (08). Isso reduziu a produção para 368,5 milhões de toneladas, contra 373,9 milhões em outubro.

Só esse corte de produção já seria positivo para as cotações na Bolsa de Chicago, mas o USDA apontou também um grande aumento nas exportações americanas, que saltaram dos 59,1 milhões de toneladas estimados no mês passado para 67,3 milhões de toneladas – reflexo direto da quebra de safra da Ucrânia (leia mais abaixo).

Com tudo isso, a estimativa de estoques finais de milho no ciclo 2020/21, que nos EUA vai até 31/ago/21, caiu para 43,2 milhões de toneladas – nível ainda confortável se comparado ao da soja, mas significativamente mais baixo que o da temporada anterior.

Corte pesado nos números ucranianos

No quadro mundial, o USDA finalmente reduziu com mais força a produção da Ucrânia, que é estimada agora em apenas 28,5 milhões de toneladas, contra 36,5 milhões em outubro e potencial inicial, antes da quebra por estiagem, de quase 40 milhões. Com isso, a estimativa de exportação ucraniana caiu para apenas 22,5 milhões de toneladas, deixando um vácuo no mercado internacional que deve ser coberto pelos EUA, já que o Brasil tem pouca oferta e o mercado interno é firme. O USDA também aumentou a importação chinesa, mas o número ainda deve crescer mais nos próximos meses.

Veja Também

Fale conosco!